• Estatísticas do Site

    • 229,161 Visitas
  • hit counter Online

VIX: Primeiro dia do Vitória Fashion Show

Cheguei hoje em Vitória, vôo tranquilo, mas a cidade em meio a visita do Lula a uma refinaria de petróleo complicou um pouco o trânsito. Estou hospedado no Hotel Escola do Senac Ilha do Boi. A vista é linda e que reforçou mais a simpatia pela cidade, num primeiro e rápido olhar.

No avião encontrei a querida fotógrafa Silvia Boriello e estamos juntos nesta primeira edição do Vitória Fashion Show. Chegada no dia do evento é sempre complicada. Almoço demorou um pouco além da conta, depois tive um encontro com o Ivan Aguilar, responder emails, coordenar os editoriais de outubro da Playboy, quando vi já era hora de ir para os desfiles que começam às 18 horas.

MODA É NEGÓCIO

Vista geral dos estandes da feira de negócios do Vitória Fashion Show

Bom, CDF que sou, já fiz as pesquisas das marcas que iam desfilar e sobre a moda do Espírito Santo. De acordo com a matéria da Dani Costa do jornal A Gazeta: “O setor de vestuário no Estado gira em torno, basicamente, dos pólos de Colatina, São Gabriel da Palha, Linhares e Vila Velha. Parece pouco, mas as 1.440 empresas de confecção registradas empregam diretamente 30 mil pessoas, sendo 85% delas, mulheres. Esses números revelam um mercado que já foi tímido, mas, aos poucos, expandiu-se e mostrou ao país o potencial capixaba para o ramo”.

Nesta primeira edição, o foco está na Feira de Negócios mesmo e os desfiles são a cereja do bolo. Tanto é verdade que temos por volta de 30 estandes, 23 marcas reunidas numa área de 2300 m2. Estão presentes 50 compradores de várias partes do Brasil. Se os números ainda não parecem significativos num primeiro momento, tem uma vontade dos setores empresariais e governamentais de reverter o quadro, que hoje representa 2% do total produzido no país. O investimento neste evento gira por volta de 1 milhão.

MODA É IMAGEM LOCAL

Quando comecei a analisar o line up dos desfiles, percebi que a intenção principal era dar uma panorama geral da moda capixaba. Temos marcas de surfwear tradicionais, outras que são conhecidas fora do estado, empresas que contam com a consultoria do Sebrae, desfile de alunos da UVV, uma empresa têxtil que vai fazer uma apresentação conceitual. Receita de bolo (ou muqueca?) pra lá de correta.

4 marcas apoiadas pelo Sebrae abriram o primeiro dia: Eco Design, Donna Linda. Apologya, e Exatta. Para chamar a atenção da mídia foi convidada como “modelo” a Ellen Roche. A loira entrava muito sorridente nas suas entradas, cheia de caras e bocas, o que provocou um daqueles comentários impagáveis: “Ah, o que você quer? Uma terça-feira…um cachê a mais…a moça tem que estar bem feliz “.

^ Ellen Roche: a celebridade da vez em Vitória

A duas primeiras marcas Eco Design e Donna Linda fizeram desfiles corretos, sem maiores pretensões, o que já ganham muitos pontos de saída. Moda para usar no calçadão, daquelas bem coloridas, muita estampa, bem jovem.

^ Bermudas e camisetas para os meninos, vestidos e vestidões para as meninas da Eco Design. Só merecia um cuidado maior na mistura entre as estampas florais usadas com o xadrez.

^ Eco Design: amarrações+babados+tom cru deu uma boa interpretação para o desejos da temporada

^ Vestidos soltos e estampados, com alguns detalhes foram o forte da Donna Linda

^ Donna Linda: Verão não rima com complicação: direto da praia para calçada sem escalas

A coisa ficou um pouco mais complicada nos últimos dois. A Exatta veio com vestidos de festa. Então, já sabe, como diria a Legendária: plissados-esvoaçantes-provocantes…porém sem muita imaginação e poesia. Poderia ampliar um pouco o repertório e tomar cuidado com o volume das saias e vestidos mais curtos.

Mais complicado ainda foi a apresentação da Apologya. Uma série de regatinhas usadas com saias de tule. Não deu para entender o que a marca faz, sinceramente. As sainhas encombriam as regatas, que nem sei se foi bom ou ruim este efeito…

Apologya: Meio Tutti Confusi, sabe como?

Xadrez+listra+flores dominam o surfwear capixaba

Depois da Osklen e da Redley é sempre bom olhar para as marcas de surfwear brasileiras, não é mesmo? Depois do boom do esporte nos anos 80, elas perceberam que valia a pena migrar da areia e conquistar uma fatia maior de mercado e começaram a investir numa moda mais urbana que trouxesse para a cidade um pouco do lifestyle hedonista da praia.

Variação sobre o mesmo tema: floral incomum no surfwear

A Konyk é uma marca de surfwear bem conhecida por estas bandas. Com sede em Vila Velha, a marca tem 17 lojas no ES, duas em Lisboa e representantes em todo o Brasil. Para o Verão 2009 o tema da coleção é Luau.

Camisa+bermuda+chapéu: caminho certo para moda urbana

Como toda marca voltada para este o público, o exercício maior fica por conta de estampar as conhecidas bermudas e camisetas prêt-à-plage . A mistura de xadrez com listras e flores na mesma bermuda é superok, assim como um tipo de estampa de flores miúdas que não é muito comum, já que os hibiscos dominam este território.

Cores sóbrias e detalhes coloridos para o urban surf

Na sua linha urbana destaque para os jeans com bolsos bem caídos na parte detrás, uma versão bem legal todo riscadinho. Enquanto que a Redley e Osklen apostam em modelos de calças mais folgadas, o marca capixaba aposta ainda numa linha mais reta, o que convenhamos não é de todo ruim, porque dá um ar mais arrumado para quem está acostumado com ares mais relaxados. Os chapéus apresentados são ótimos complementos para dar um upgrade no visual.


Entrada final do desfile da Konik. Dá para ver detalhes dos looks no site da marca

A Cobra D´Água está completando 20 anos de praia. Ela está presente em 1400 cidades no Brasil, além de exportar para Europa. Ela tem como principal mídia o patrocínio de surfistas, nadadores, jogadores de volei de praia.

Para comemorar eles colocaram na passarela ao lado dos modelos homens da vida real de várias faixas etárias. Pelo que deu para perceber, devem ser atletas e ex-atletas patrocinados pela marca. Foram 3 linhas desfiladas: Experience, Original e Junior.

A primeira linha é a mais urbana, com modelagem mais ampla. Destaque para as calças-cargos que nunca saem de moda, mas estão entrando com mais força neste verão. Boa idéia também é a camisa florida com estampa usada do lado do avesso que ameniza as cores por fora e os tons mais quentes ficam na parte de dentro.

A Original é aquilo que a gente conhece e sabe de cor: camisetas estilo machão sem mangas e bermudas coloridas, que é o carro-chefe da marca. A linha Junior é versão infantil e teen da marca tipo primeiros passos.

Com tudo isso, o desfile acabou sendo mais longo que o habitual e merecia uma edição mais concisa, porque no final as boas idéias ficaram meio diluídas em meio a tantos looks. Depois, a Cobra D´Água ofereceu um jantar no Iate Clube com muita moqueca de abadejo, pirão e banana da terra. Isso foi só para dar água na boca da Fernanda da Oficina de Estilo…


Entrada final do desfile da Konyk. Dá para ver com mais detalhes do looks no site da marca

..

..

..

Retirado de: http://forademoda.wordpress.com/2008/09/02/vix-primeiro-dia-do-vitoria-fashion-show/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: